sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Revista " OS XOKLENG"


 
 

Informações Técnicas do projeto:

Texto e Arte: Alex Guenther
Revisão Histórica: Sílvio Coelho dos Santos
Correção: Carlos Braga Mueller
Poesia: Vilson do Nascimento
Blumenau/SC - (2010)
Revista em quadrinhos, 54 paginas, preto e branco, resgate histórico
Tiragem: 2.000 revistas
Apoio: ELISABETE ANDERLE /SC
Distribuição: Colégios Municipais de Blumenau e Alto Vale do Itajaí

Sinopse:
 
No começo eram só os índios e a natureza.Tinham uma vida pacata, alimentos suficientes, seus rituais e tradições. Então chega o homem branco e com ele, a disputa pelas terras, devastando tudo e encontrando pela frente os denominados bugres. Açoitados e caçados, lutaram bravamente pelo seu direito de viver, e pertencer a algum lugar. Estes eram os índios Xokleng.
 
Como se procedeu:

 

Após muita polêmica gerada por alguns professores, historiadores e cretinos de plantão, foi-me colocado um título de matador de índios, defensor dos colonizadores, etc.. Fiquei durante muito tempo chateado com o que algumas pessoas falavam sobre eu não respeitar a historia dos índios, ou somente mostrar um lado da moeda, da qual nas revistas O desbravador e Vale dos imigrantes eu apresentava a dificuldade dos colonos, sendo entre elas, o confronto direto com os assim chamados de " bugres botocudos". Termo da qual era comumente referido, até hoje, porem até nisso fui criticado. Após um tempo passado percebi que deveria sim contar o outro lado, para fechar minhas contas com todos. O trabalho todo levou dois anos. Fiz uma grande pesquisa em cima dos livros do grande historiador Silvio Coelho dos Santos, da qual enviei todo o processo da revista, textos roteiros, etc. Ele gostou muito do meu trabalho, fez considerações da qual alterei e repassei novamente. Tendo seu consentimento e uma maravilhosa carta de apresentação, finalizei a minha primeira grande Graphic Novel de 54 páginas, formato 28 x 21 cm. Após ter inscrito em muitos editais de incentivo a cultura, sem sucesso, já estava desanimado, pelo grande trabalho perdido, até que então tive a notícia que tinha sido contemplado no concorrido fundo Elisabete Anderle. Se não me engano eram em torno de 1800 projetos da qual passavam uns 150...fiquei muito feliz. O resultado foi enorme, muitos elogios de todos os cantos, cobertura massiça da mídia pelo trabalho único realizado pelos índios Xokleng da região. Fechava minhas contas assim, com chave de ouro. O livro tem muita violência sim, quis mostrar o lado real da coisa, como essa população foi massacrada, mesclando humor em vários pontos da revista, como é de meu costume. Fui mais uma vez agraciado por um e-mail que recebi do neto de um dos personagens, figura ilustre, elogiando o trabalho. Abaixo você pode conferir a carta do grande Historiador já falecido Silvio Coelho dos Santos:
 
 
                       A saga vivida pelo povo indígena Xokleng em seu contato com os brancos está sendo magníficamente relatada por Alex Leonardo Guenther na forma de História em Quadrinhos. Alex é um jovem publicitário, egresso da Universidade Regional de Blumenau, que está preocupado em se relacionar com crianças e adolescentes narrando histórias e tradições regionais. Já publicou “O Desbravador – a Fundação da Colônia Blumenau” (2006) e “Conhecendo o Museu da Família Colonial” (2006). No prelo estão “Vale dos Imigrantes” e “Oktoberfest – origens e tradições”, ambos acabados neste início de 2007. E agora este novo livro  recupera uma boa parte da história do povo Xokleng e do próprio Vale do Itajaí.
                      Como se sabe, os Xokleng  habitavam uma grande área  coberta pela floresta tropical (Mata Atlântica), que se estendia desde  as proximidades de Curitiba até a altura de Porto Alegre. Para o Oeste, esses índios alcançavam  a região de Porto União e Calmon, onde mantinham disputas com os Kaingang  objetivando o domínio dos bosques de pinheiros, onde havia, além do pinhão, uma variedade enorme de animais e de aves que eram a base da sua alimentação. Nos vales que se localizavam entre o litoral e o planalto, os Xokleng também exploravam variada fauna e realizavam a coleta de mel, de frutas silvestres, de palmito e de outras tantas plantas e raízes.No dia-a-dia conviviam com a natureza e dela tiravam o que necessitavam para sobreviver. Durante séculos sua condição de nômades caçadores e coletores se reproduziu de geração em geração sem maiores transtornos. Com a chegada dos homens brancos, entretanto, tudo começou a mudar.
                         O contato entre os Xokleng e os brancos foi trágico. Sistematicamente seu território foi sendo conquistado pelos imigrantes que chegavam. Ocorreram diversos episódios sangrentos, envolvendo vítimas de parte a parte. Contatados por Eduardo Hoerhan, agente do Serviço de Proteção aos Índios, aos poucos os índios foram se adaptando a convivência com os novos senhores de seu território. Hoje, os descendentes vivem em maioria na Área Indígena de Ibirama, no alto Vale do Itajaí.  A sua identidade indígena é  constantemente reafirmada, o que contribui para a manutenção de suas tradições.
                         É esta trajetória que liga passado e presente no Vale do Itajaí que Alex  traz para nós, crianças e adultos, ajudando-nos a nos situar no complexo mundo em que vivemos.
  
                                                    Sílvio Coelho dos Santos – Antropólogo
 
 
Imagens aleatórias da revista:
 
 
 
 
 
Imagens do Projeto (2010):
A revista foi lançada no Teatro Carlos Gomes de Blumenau
 
 



Cobertura da Mídia:
 
Para ver reportagens de TV acesse o canal Alex Guenther no YOUTUBE pelo link:

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário